JOÃO PEDRO MAMEDE

Nasceu em Almada e ali começou a sua formação, no projecto Cena Múltipla, orientado por Francis Seleck, Pedro D'Orey e Catarina Pé-Curto. É diplomado em Teatro pela ESTC. Estreou-se em Março de 2011 com o monólogo A 20 de Novembro de Lars Nóren, encenação de Francis Seleck. Trabalha com os Artistas Unidos desde 2013, em textos de Georg Büchner, Antonio Tarantino, Simon Stephens, Jorge Silva Melo, Harold Pinter, David Greig, Tennessee Williams, Marguerite Duras, Raul Brandão e Dimítris Dimitriádis, entre outros. Em 2017, encena A estupidez de Rafael Spregelburd com os Artistas Unidos e em 2018 encena Sweet home Europa de Davide Carnevali com o TNDMII. Fundou a companhia Os Possessos, onde cria os espectáculos Rapsódia Batman (2014), II - A mentira (2015), Marcha invencível (2017) e O Novo Mundo (2018). Traduziu Holocausto de Charles Reznikoff para o espectáculo Holocausto - fragmentos. Em cinema, trabalha com Ivo M. Ferreira, Jorge Silva Melo, Márcio Laranjeira, Miguel Nunes, Pedro Cabeleira e Tiago Guedes.

Com OS POSSESSOS

O NOVO MUNDO

 

 

 

A BOLHA