ANDRÉ PIRES

O seu percurso começa com a bateria. Primeiro no jazz com o professor Carlos Vieira. Depois no rock com a banda Refundidos (1987), mais tarde REF. Estuda percussão de orquestra na Escola de Música do Conservatório de Lisboa e mais tarde na Academia de Artes e Tecnologias onde também estuda som e sonoplastia. Compôs e tocou para os grupos de Novo-Circo Tratamento Completo, Plot e Pé ante Mão. Em 1997 começa a trabalhar em teatro. Faz música, sonoplastia e desenho de som para encenações de Manuel Wiborg, Miguel Hurst, Artistas Unidos (Jorge Silva Melo, Solveig Nordlund, Alberto Seixas Santos, Artur Ramos) e Cucha Carvalheiro entre outros. Na dança colaborou com João Fiadeiro em “Existência” (2002-2005), John Mowat/Meredith Kitchen “Disappearing Acts”(2007), Companhia Circolando (desde 2009) e Mónica Calle (2014/2015). Foi convidado para dirigir uma sessão de introdução à sonoplastia e improvisação sonora para movimento no Workshop de Sonorização Cénica de “Metamorfose IV” (Culturgest, 2017). Foi co-fundador da banda Headcleaners (1994-2009) com quem viria a editar vários temas pelas editoras Nylon Discographics e Om Lounge. Em 2009 editam o álbum “Do What You Will” com o apoio da GDA. É co-fundador da banda Krr!! (desde 2013). Iniciou o laboratório de arte sonora Membrana em 2014 sobre o trabalho com a captação do som presente. Os seus instrumentos são a bateria, a guitarra, o computador, os microfones e todo o tipo de ferramentas eletro-acústicas.

Com OS POSSESSOS